Please reload

Assuntos

Depoimento de ex-aluna (Toronto)

26/2/2018

 

Acho que uma das coisas que eu mais escutei do pessoal que soube que eu ia imigrar para o Canadá, muito mais do que “nossa, que legal! Ouvi dizer que o Canadá é um país ótimo para viver!”, foi “você vai SOZINHA para o Canadá?? Guria, você é louca!”. Você sempre acha que o pessoal está sendo um pouco exagerado, até o momento em que você sente na pele o peso da sua decisão. Sempre que eu vejo histórias e relatos de pessoas que vieram para estas terras gélidas, geralmente são pessoas que vêm pra cá com cônjuge ou com a família.

 

Existe um motivo pelo qual as pessoas fazem isso. E isso é até uma coisa engraçada, porque fala-se muito de chegar aqui no Canadá e começar a correr atrás de emprego, lugar para morar e barreiras culturais, e não digo que essas não foram preocupações que me assolaram durante um pouco mais de um mês. Mas às vezes o que te pega de vez são as pequenas coisas que você fazia quase sem pensar no Brasil. Sabe como é, sair depois do trabalho para comer uma coxinha com Guaraná no lanche, chamar os amigos para sair, passar no salão para cortar o cabelo, ver alguma coisa na promoção e comprar…  E quando você chega num lugar em que você não conhece absolutamente nada de nada? E para piorar: você não tem a quem recorrer??

 

O que eu posso dizer a respeito de tudo isso é: se você pretende vir sozinho para o Canadá, pesquise o máximo possível que você puder enquanto ainda estiver no Brasil. Não marque uma semana no hotel achando que vai conseguir emprego, apartamento e carro em menos de três dias. Sim, tem gente que consegue, mas isso não é a maioria dos casos. Se você é um reles mortal como eu, possivelmente vai levar pelo menos três dias para conseguir resolver todas as pendências com documentação, conseguir número de celular, comprar roupas apropriadas caso venha no inverno, encontrar bons lugares para comprar comida… e isso tudo já assumindo que você fez a pesquisa no Brasil!

 

Outra coisa: o processo seletivo para trabalho é bem demorado (e aqui eu me refiro exclusivamente à área de TI). Mesmo que você esteja vindo como Federal Skilled Worker e feito sua pesquisa de mercado de trabalho, uma vez que você enviar seu currículo e cover letter, a empresa pode levar de um dia a duas semanas para marcar a entrevista por telefone, o tal do phone screening. Depois dele, é pelo menos mais uma semana até marcar a entrevista técnica e, assumindo que você tenha conseguido cativar os entrevistadores, mais uma semana até conseguir uma entrevista com o RH. Para enviar um e-mail de rejeição, elas podem demorar mais ainda, sobretudo se a empresa for grande. Uma das empresas a que enviei o currículo com a cover letter levou mais de um mês para me responder “desculpe, mas resolvemos procurar outro profissional cujas qualificações sejam mais condizentes com nossa linha de trabalho”. Outras não vão nem se dignar a mandar uma resposta!

 

Com relação a barreiras lingüísticas, uma coisa que eu acho divertida em Toronto é como absolutamente TODAS as coisas têm informações disponíveis em inglês E francês, mas na parte anglofônica do país quase ninguém fala francês. Se você olhar para embalagem de pão, shampoo, detergente, comida congelada, TUDO tem informações em inglês e francês. Até quando você vai pagar suas compras no mercado, a maquininha do cartão de crédito mostra informações nas duas línguas. Em compensação, quando você vai assinar contratos ou fazer loyalty cards para conseguir descontos, as instruções estão todas em inglês, salvo por um pequeno trecho em francês que diz “estou ciente de que todas as informações que me foram disponibilizadas estão em inglês” (isso depois que você leu o documento inteiro em inglês).

 

Fato curioso: tem MUITA gente falando chinês. Muita MESMO. Eu já fui fazer entrevista técnica em um lugar em que as únicas pessoas falando inglês no recinto eram eu e o entrevistador, todas as outras pessoas estavam falando em chinês - tanto cantonês quanto mandarim.

 

E já sobre o assunto de pessoas falando línguas diferentes, não tem como não notar o quão forte é o respeito pela diversidade que as pessoas têm por aqui. Enquanto eu caminhava pelos arredores do bairro em que estou morando, encontrei em vários quintais plaquinhas como esta aqui:

 

 

É admirável como as pessoas tomam um cuidado extremo em respeitar a cultura de outros países. Claro, gente babaca existe em todos os lugares, mas Toronto é um lugar maravilhoso nesses quesitos. Aqui você vê pessoas vindas de todos os países, falando todos os tipos de línguas e usando todos os tipos de roupa. Você vê muitas mensagens promovendo tolerância, tanto em outdoors como em transportes públicos. E caso você precise de ajuda, na maioria dos casos, as pessoas vão estar dispostas a te dar informação.

 

Falei um monte de coisa aqui, mas acabei me desvirtuando do que eu realmente queria comentar: como está sendo a experiência de vir para o Canadá sozinha?

 

Eu vou dizer que solidão tem suas vantagens e desvantagens. Se você não tem uma família dependendo de você, a pressão para encontrar um emprego que ao menos pague as contas não é tão grande assim. Você pode ficar pulando de AirBNB para AirBNB até conseguir alugar um lugar que você consiga pagar. Até na hora de alugar um apartamento, você provavelmente vai conseguir pagar um pouco mais barato por um apartamento de um quarto e talvez até consiga ficar em Downtown (imagina que sonho!). A diferença de valor que você vai gastar no supermercado não vai ser TÃO grande assim com relação a comprar comida para duas pessoas, mas ainda assim é uma boa economia, e você ainda pode se dar ao luxo de comprar umas besteirinhas a mais de vez em quando. Você vai economizar com o transporte e com as roupas de inverno que você provavelmente vai ter que comprar, porque as roupas de inverno do Brasil simplesmente não dão conta com o frio daqui.

 

Agora, o ruim de não ter companhia é que no dia em que você receber o quinto e-mail de rejeição para trabalhar numa empresa, você vai ter que erguer a cabeça, respirar fundo e continuar tentando, sem ninguém pra te dar tapinhas nas costas e dizer “não se preocupe, são eles que saíram perdendo”. Quando você estiver desanimado e precisar de um ombro amigo, vai notar que todas as pessoas que se importam com você estão no Brasil, te vendo sofrer de longe sem poder fazer nada além de mandar mensagens no celular. Quando você finalmente conseguir um emprego bacana ou um lugar legal para morar, você não vai ter com quem dividir suas conquistas. Novamente, seu celular vai ter que ser seu melhor amigo. Muitas vezes, você vai se pegar pensando “nossa, que legal essas bolachas recheadas sabor Maple Syrup, meu amigo ia adorar isso!” e… surpresa! Seu amigo não está por perto para experimentar as bolachas de Maple Syrup com você!

Não se preocupe, nem tudo são pedras no meio do seu caminho. Eventualmente você vai fazer amigos no Canadá, vai entender como funciona a dinâmica de lidar com pessoas por aqui e vai acabar construindo a sua vida tudo de novo. Você vai entender que a sua vida agora é essa e que todas as pessoas que você precisou deixar no Brasil ainda estão torcendo pelo seu sucesso. O Brasil continua no mesmo lugar e, quando as saudades apertarem MUITO, você sempre pode visitar a terrinha natal. Mas pelo menos por ora, respire fundo, erga a cabeça e bola pra frente!

 

Sucesso a todos e espero a chegada de vocês!

 

Melanie (02/2018)
 

 

 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Você gostou desta postagem?
Please reload

Receba informações sobre turmas, descontos exclusivos e postagens do Blog do Centre Québec

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube
  • Spotify
  • RSS
Funcionamento

de segunda a quinta, das 14h às 21h; sextas: com horário agendado; sábados, das 09h às 13h30.

Endereço

Rua Ivo Leão, 296, Portão Azul
Alto da Glória, Curitiba - PR
80030-180


 

Contato
Conecte-se 
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube
  • Spotify
  • RSS

© 2019 - Centre Québec.